Living by faith - 生活因信 Shēnghuó yīn xìn

A JUSTIFICAÇÃO PELA FÉ E PAZ COM DEUS-JUSTIFICADOS, POIS, MEDIANTE A FÉ, TEMOS PAZ COM DEUS POR MEIO DO NOSSO SENHOR JESUS CRISTO;POR INTERMÉDIO DE QUEM OBTIVEMOS IGUALMENTE ACESSO, PELA FÉ, A ESTA GRAÇA NA QUAL ESTAMOS FIRMES;E GLORIAMO-NOS NA ESPERANÇA DA GLÓRIA DE DEUS. (Rm.5.1-2) NÃO HÁ ARRECADAÇÃO FINANCEIRA EM NOME DESTE BLOG. APÓS A LEITURA DOS ARTIGOS, APENAS EXPONHO O NÚMERO DAS CONTAS BANCÁRIAS DE AGÊNCIAS DE MISSÕES E MISSIONÁRIOS PARA QUE VOCÊ CONTRIBUA COM AMOR, SE ASSIM DESEJAR!

O que a Igreja tem para fazer Missões

O que a Igreja tem para fazer Missões:


Rev.Paulo Serafim de Souza

Texto: Atos 1.6-8

INTRODUÇÃO:
Quando o evangelho chega a um povo não alcançado, a indagação dos primeiros convertidos é quase sempre a mesma: Por que não nos trouxeram esta boa notícia antes? Como ficarão nossos antepassados que morreram sem ouvir da salvação em Cristo? A igreja não pode demorar a ouvir o clamor dos que jazem sem o evangelho de Cristo. Deus quer alcançar os povos da terra com o evangelho e os povos precisam desesperadamente da graça salvadora de Deus no evangelho de Cristo. A igreja é agência de Deus aqui na terra para a concretização do seu propósito salvador em direção aos povos. É ela quem deve fazer missões, porque missões é o trabalho de Deus através da igreja para trazer o homem à comunhão com ele através de Jesus Cristo. Foi para essa prioridade que Jesus chamou a atenção dos seus discípulos no texto em questão.
Os discípulos queriam saber do futuro e das coisas não reveladas. Não foi esta aprimeira vez que eles perguntaram a Jesus o que estava por vir e, como das outras vezes, o Senhor não lhes deu resposta. Em vez disso, Jesus lhes focalizou aatenção para a missão atual. O futuro está nas mãos de Deus, e não lhes competia saber o que o futuro lhes traria, pelo menos não em minúcias. Eles tinham que concentrar suas energias na grande tarefa que lhes fora dada: fazer discípulos de Jesus de todos os povos da terra, ou seja, serem suas testemunhas “até os confins da terra”. Pensando nisso, eu te desafio a pensar comigo sobre o tema: O que a igreja tem para fazer missões? Primeiro, ela tem o Espírito Santo.

I – O ESPÍRITO SANTO (V.8)
O Espírito Santo é um Espírito missionário e ele é o maior recurso que a igreja tem para fazer missões. Ele é o próprio Deus presente na vida da igreja para conceder poder, dons e abrir os corações dos incrédulos para o evangelho. Lucas, que escreveu o evangelho que leva o seu nome e o livro de Atos, já havia registrado a recomendação de Jesus aos seus discípulos que não saissem de Jerusalém até que do alto fossem revistidos de poder, ou seja, eles não poderiam fazer missões sem a descida definitiva do Espírito Santo que ocorreu no dia de Pentecostes.
Com a descida do Espírito Santo, os discípulos foram capacitados com o seu poder para darem testemunho ousado da morte e da ressurreição de Cristo. Homens tímidos e de pequena fé, agora capacitados pelo Espírito Santo tinham grande coragem para falarem das maravilhas de Deus, estando dispostos a sofrer e a morrer por causa de Cristo. No primeiro sermão do apóstolo Pedro após estar cheio do Espírito Santo, cerca de três mil pessoas foram tocadas por Deus e aceitaram o evangelho. Em todo livro de Atos vemos a ação do Espírito Santo salvando, chamando e capacitando a igreja para aobra missionária. Aliás, alguém já disse que o livro de Atos poderia muito bem se chamar: Atos do Espírito Santo por intermédio dos apóstolos.
O Espírito tem um papel fundamental em missões. Ele enche a igreja de poder, concede dons espirituais, chama pessoas para missões como Paulo e Barnabé, além de agir na vida dos incrédulos, convencendo-os do pecado, da justiça e do juízo. É somente pela ação do Espírito que uma pessoa pode entender e aceitar o evangelho da salvação em Cristo Jesus. O novo nascimento, é uma obra do Espírito como bem falou Jesus a Nicodemos. Não podemos jamais desprezar a ação do Espírito na obra missionária. Percebo dois extremos perigosos com relação a pessoa do Espírito Santo: Os pentecostais tendem a exaltar sua pessoa em detrimento das demais pessoas da Trindade e as igrejas históricas, como a Presbiteriana, tendem a desconsiderar a sua atuação em detrimento do seu caráter divino. O maior recurso de Deus para missões não são homens eloqüentes, não são a estrutura e o dinheiro da igreja, mas o Espírito Santo que age em nós e através de nós.
Quando formos planejar um trabalho missionário, não fiquemos primeiro pensando quantas pessoas temos, quanto recursos temos, quanta estrututra temos, mas busquemos o poder, o auxílio e a direção do Espírito Santo. Façamos como os irmãos moravianos que mantiveram uma reunião de oração por cem anos ininterruptos, conseguindo enviar missionários para várias partes do mundo. Façamos como Jesus que antes de começar o seu ministério terreno foi conduzido pelo Espírito para o deserto para orar e jejuar a fim de resistir às terríveis tentações do inimigo. Façamos como a igreja primitiva que perseverava em oração enquanto era revestida pelo poder do Espírito Santo para pregar a Palavra de Deus com toda intrepidez. Façamos como apóstolo Paulo que escreveu: “Não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito Santo”. Que a nossa igreja busque o poder do Espírito para fazer missões. Você pode dizer amém em concordância coma essa grande verdade bíblica. Amém!
Além do Espírito Santo,outro recurso que a igreja tem para fazer missões são as testemunhas de Jesus.

II – TESTEMUNHAS DE JESUS (V.8)
Os métodos de Deus são homens, mais precisamente são testemunhas de Jesus, pessoas que foram lavadas e redimidas pelo sangue do Cordeiro, que tiveram uma experiência pessoal com Jesus e que agora pelo poder do Espírito podem dar testemunho do que creram, sentiram e experimentaram de Jesus na sua vida pessoal. “Vós sereis minhas testemunhas”. Começa a missão, a evangelização para a construçãodo corpo de Cristo. Para isso há necessidade de “poder”. Porém não basta o poder do intelecto, da vontade humana, da retórica. “Poder do Espírito que desce sobre a igreja: somente por meio dele que é possível realizar a tarefa missionária. Com ele, os apóstolos e nós somos as “testemunhas” eficazes de Jesus.
Ele nos transforma em testemunhas. Conhecemos o termo “testemunha” do linguajar jurídico. Num processo judicial são interrogadas as testemunhas. Não lhes cabe externar sua opinião, nem relatar seus pensamentos, mas – exatamente como fazem os apóstolos – “falar das coisas que viram e ouviram”. As testemunhas estabelecem o que aconteceu na realidade. Por isso agora os apóstolos, já podiam ser testemunhas de Jesus. No entanto, como se trata de realidades invisíveis, divinas, não bastam todos os testemunhos humanos para convencer o próximo dos fatos. Somente o poder do Espírito Santo pode atestar o testemunho de Jesus de forma que atinja a consciência da pessoa e ela creia ou se rebele contra a verdade, que já não pode ser negada. O termo grego para “testemunha” =“martys” nos lembra que justamente esse testemunho que atinge o coração é que conduz os mensageiros ao sofrimento, e ele somente pode ser prestado mediante o sofrimento.
Nem todos foram chamados para serem missionários em Guiné-Bissau, nem todos foram chamados para serem pastores ou músicos, mas todos os crentes foram chamados por Jesus para serem suas testemunhas. O privilégio e o desafio de dar testemunho de Jesus são para todos crentes que foram salvos por ele. Portanto, onde você está, foi colocado por Jesus para dar testemunho dele: no seu trabalho, na sua escola e na sua família. Veja como Deus é bom: coloca você no seu trabalho para testemunhar dele e ainda permite que você ganhe o sustento para sua família e para o sustento da obra missionária.
Querido irmão, saiba de uma coisa: Antes de você ser um médico, um advogado, um enfermeiro, uma professora, um pedreiro, uma dona de casa ou um estudante, você é uma testemunha de Cristo. Você não trabalha onde trabalha só para ganhar dinheiro; você não estuda onde estuda só para adquirir conhecimentos; você não mora onde mora só para viver. Mas, principalmente para testemunhar de Cristo às pessoas com quem convive no trabalho, na escola e na vizinhança. Será que temos essa consciência? Os pais querem que seus filhos sejam médicos, advogados e engenheiros. Isso é uma coisa boa. O problema é que, às vezes, se esquecem de inculcar na cabeça dos seus filhos que antes de tudo eles são testemunhas de Jesus. É preciso enfatizar essa missão de Deus para nós desde cedo. Temos procurado fazer isso com os nossos filhos. Sempre perguntamos para eles: vocês já falaram para os amigos sobre Jesus, já convidaram para ir à escola dominical?
Como testemunha de Jesus você deve se envolver de forma direta e indireta com missões. De forma direta você deve testemunhar de Jesus com sua vida e com suas palavras para seus amigos e vizinhos, entregar folhetos, Bíblias e literatura cristã, visitar hospitais e cadeias, etc. De forma indireta você pode orar pelos missionários, escrever para eles, informar-se do trabalho missionário no mundo, participar de conferências missionárias, ser fiel nos dízimos e generoso nas ofertas missionárias para que a igreja tenha sempre recursos para investir na evangelização do Brasil e de lugares distantes.
Por mais que vivamos no mundo da tecnologia e do desenvolvimento científico: internet, celular, vôos espaciais, etc., Deus ainda prefere usar uma pessoa como testemunha para falar diretamente para outra, portanto, a evangelização pessoal, o discipulado, o evangelismo através de relacionamentos ainda é o grande método de Deus para o avanço da obra missionária. Podemos e devemos usar a tecnologia disponível, mas ela jamais pode substituir o contato pessoal, o relacionamento, o evangelismo de pessoa para pessoa, ao vivo e a cores. Igreja é relacionamento: com Deus e com pessoas. Missões também! Por isso, precisamos investir tempo e dinheiro em pessoas.
Temos muito que agradecer a Deus porque ele tem dado as suas testemunhas que o servem na IPB, dons, talentos, oportunidades, boa formação bíblica e profissional, boa estrutura e recursos abundantes que precisam ser canalizados para a obra missionária. Precisamos entender que tudo que Deus nos dá é para ser usado para glória dele e expansão do seu reino aqui na terra e não só para o nosso deleite pessoal. O Brasil foi ricamente abençoado pela igreja americana que enviou seus melhores homens e mulheres: pastores, médicos e professores, além de enorme quantidade de recursos financeiros para a plantação de igrejas, fundação de seminários, hospitais, escolas e universidades. Eles entenderam seu papel como testemunhas de Jesus. Agora é a nossa vez, é a vez da sua igreja, é a vez da IPB ser uma testemunha de Jesus para o mundo.
Já vimos que a igreja tem para fazer missões o Espírito Santo, as testemunhas de Jesus e também a visão missionária de Jesus.

III – A VISÃO MISSIONÁRIA DE JESUS (V.8)
O campo da igreja, ou seja, sua esfera de atuação é o mundo porque a ordem de Jesus tem um escopo universal. Partindo de Jerusalém, os discípulos deveriam sair até os confins da terra. Estas palavras contêm o corretivo para a pergunta individualista dos apóstolos no v. 6, embora se possa duvidar que eles tenham entendido dessa maneira na época. O nacionalismo judaico da igreja primitiva demorou muito a morrer. Todavia, à época em que Lucas estava escrevendo, esse nacionalismo extremado em grande parte já era coisa do passado, e a frase "até os confins da terra" havia assumido sentido mais amplo. Abrangia agora o império romano, representado pela própria Roma e, nessa base, Lucas adotou o programa resumido nesse versículo como estrutura de sua narrativa. Jerusalém– Judéia – Samaria – todo o mundo. Durante longos capítulos ele nos manterá em Jerusalém; depois ele passa ao grande avivamento na Samaria, e, na seqüência, à conversão de Paulo, com o qual viajaremos até Roma.
Jesus abriu os olhos dos discípulos para que pensassem não em termos particulares (Israel), mas em termos universais (“até os confins da terra”). Ainda hoje a igreja tende a pensar em missões, em termos particulares (aumentar seu número de membros ou abrir uma congregação em outro bairro da cidade). Ela deve pensar nisso, mas não somente nisso, seu campo não é apenas sua cidade, mas o mundo. Por muito tempo, por má interpretação do texto em questão a igreja brasileira pensou cronologicamente e não simultaneamente. Ela pensou: primeiro vamos evangelizar Jerusalém (nossa cidade), depois vamos evangelizar a Judéia (nosso estado), depois vamos evangelizar Samaria (nosso país) e depois vamos evangelizar os confins da terra (o mundo). Porém, o texto não dá base para essa ideia. Jesus disse que a igreja deve ser testemunha dele tanto aqui quanto em outros lugares ao mesmo tempo.
A igreja de Jerusalém não esperou evangelizar toda a cidade para sair do seu território. A igreja americana não esperou evangelizar todo o país para enviar Simonton ao Brasil. O testemunho de Jesus é para ser dado pela igreja simultaneamente no Brasil e no mundo. Como não podemos estar em dois lugares ao mesmo tempo: damos testemunho de Jesus onde estamos e apoiamos aqueles que estão dando testemunho ou que vão dar em outros lugares. Portanto, toda igreja necessariamente precisa estar envolvida com o testemunho de Jesus até os confins da terra, ou seja, toda igreja precisa participar ativamente da obra missionária em todo o mundo, pois, esta é a visão e desejo de Jesus para ela. Damos graças a Deus pelo desejo da IPB de querer se envolver mais com missões.
Se pensarmos como Jesus, vamos entender que missões não é algo para um grupo da igreja, mas para todos os seus membros; não é uma programação da igreja, mas sua atividade diária; não é parte da vida igreja, mas sua vida, sua essência, sua totalidade, sua razão de existir no mundo. Cabe a nós, pastores e líderes passar para a igreja a visão missionária de Jesus para que ela pense e haja em termos mundiais e não locais. Em termos de mundo e não de cidade. Dentro dessa perspectiva, a pergunta que não quer calar é: O que a nossa igreja está fazendo efetivamente em relação a missões mundiais? Será que estou participando de alguma forma da evangelização do mundo? O que eu tenho feito para que o nome de Jesus seja pregado e conhecido em São Paulo, em Guiné-Bissau e em todos os cantos da terra? Será que tenho enxergado o mundo todo como o campo da minha atuação como testemunha de Jesus? Será que estamos dispostos a investir os nossos recursos e enviar os nossos filhos além das nossas fronteiras?

CONCLUSÃO:
Um casal de missionários estava se preparando para evangelizar um povo não alcançado das montanhas de um país africano. Após longa preparação e horas de caminhas para chegar às montanhas, logo se depararam com o líder da tribo que disse: “Por que vocês demoravam tanto a vir aqui para tirar o nosso povo das trevas?” Os missionários ficaram pensando: Nós não falamos para eles que viríamos aqui. Como aquele povo, muitos outros povos ao redor do mundo estão clamando para que alguém vá até eles a fim de libertá-los das trevas com a luz do evangelho de Cristo. Passa a Macedônia e ajuda-nos é clamor dos povos sem Cristo ainda hoje. Por amor a Deus que nos salvou e por amor às pessoas sem Cristo, precisamos urgentemente fazer missões.
Aprendemos que Jesus deixou os recursos necessários para que sua igreja faça missões. Ele deixou o Espírito Santo que nos enche com o seu poder e opera eficazmente no coração dos nossos ouvintes. Ele nos deixou aqui como suas testemunhas a fim de que usemos a nossa vida, os nossos dons e recursos para mostrar o seu amor ao mundo. Ele nos deixou a sua visão missionária, isto é, ele nos deu o mundo como o nosso campo de atuação missionária. Façamos, então, o que nos cabe na obra missionária: pregar onde estamos com o auxílio do Espírito Santo e apoiar em oração e financeiramente quem está dando testemunho de Jesus onde não podemos estar. Lembre-se de uma coisa: Deus nos dá um grande desafio: a evangelização do mundo, mas também no dá um grande poder: Seu Espírito Santo. Portanto, temos tudo que precisamos para fazer missões, isto é, para cumprirmos o ide de Jesus. Que Deus nos ajude. Amém.

Rev.Paulo Serafim de Souza
Missionárioda APMT
Guiné-Bissau,África Ocidental.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SEJAM BEM VINDOS EM NOME DO SENHOR E SALVADOR JESUS CRISTO!!!

O SEU COMENTÁRIO, É MUITO IMPORTANTE PARA APERFEIÇOAR ESTE BLOG...TINA DE JESUS - ERNESTINA P. REIS...

Postagens populares; Aqui você encontra as postagens mais lidas de cada mês, Seja bem vindo(a)

link-me: ajude-me divulgar trabalho de Missionários(as) e agências de Missões do Brasil e no Mundo